Como Viajar ao Japão #3 – Tirando o seu visto

Continuamos nossa série sobre como planejar sua viagem ao Japão. Nesta terceira etapa, você aprenderá sobre o processo para tirar um visto, documento necessário para que sua entrada no Japão seja autorizada.

01-11-fb1

Este é o terceiro artigo da série. Se você ainda não leu os anteriores, você pode acessar a parte 1 aqui, e a parte 2 aqui.

Durante o planejamento de minha primeira viagem, o visto era uma das partes que mais me assustava, principalmente por causa das inúmeras histórias que escutamos de pessoas tendo o visto americano negado, ou contando que eles fazem inúmeras perguntas e pedem infinitos documentos.

Felizmente as coisas não são tão complicadas assim, é só ler todas as exigências com calma e levar os documentos corretos. Se você se planejou com antecedência, tudo tende a dar certo.

O que é um visto?

De forma resumida, o visto é uma autorização para entrar em um país. Normalmente é colado em uma das páginas do seu passaporte. Praticamente todos os países exigem que você tenha um visto para que você possa entrar com o objetivo de trabalhar e/ou estudar por lá. Quando o objetivo é fazer turismo ou viagens rápidas, alguns países exigem que você tenha um visto, outros não.

Os países fazem acordos entre si em relação a política de vistos para seus cidadãos. Por exemplo, o Brasil possui acordo com diversos países da Europa liberando os brasileiros de visto para turismo. Portanto, se você deseja passear na Alemanha, por exemplo, basta pegar o seu passaporte e embarcar, sem a necessidade de tirar um visto antes.

Já para viajar aos Estados Unidos e ao Japão, é necessário tirar um visto no consulado ou embaixada destes países.

visto-japao

Este é o adesivo que será colado em seu passaporte

A propósito, se você ainda não possui um passaporte, tire imediatamente. Nunca se sabe quando uma oportunidade de viajar pode surgir, seja como um prêmio ou uma emergência. Além disso, sua viagem começa junto com os preparativos, há um ato simbólico de tirar o passaporte que nos dá uma sensação boa de que nosso projeto está se realizando. Hoje o passaporte brasileiro tem validade de dez anos, então você pode tirá-lo mesmo que sua viagem não seja tão já.

O visto de curta duração do Japão

Para viajar ao Japão, você terá que tirar o visto de curta duração. Este visto permite que você fique no Japão por até 90 dias após a data de chegada. Cada visto pode ser usado uma única vez, ou seja, após sua viagem, ele perde a validade e para viajar novamente é necessário tirar outro.

O preço para tirar o visto é de R$67,00.

Pessoalmente, eu nunca conheci alguém que teve problemas ou dificuldades para tirar o visto japonês. Não é necessário entrevista, basta levar os documentos solicitados ao consulado e uma vez aprovado, eles lhe devolverão o passaporte com o visto colado depois de três dias.

A fonte de informações mais confiável em relação ao visto são os sites dos consulados japoneses (ou da embaixada). Tire um tempo para ler com calma as informações disponíveis. Clique aqui para acessar as informações na página do consulado de São Paulo.

Documentos para o visto japonês

Os documentos que você deve levar ao consulado ou embaixada são:

  • Seu passaporte, com validade de pelo menos 6 meses antes de sua viagem
  • O formulário de solicitação de visto preenchido
  • Uma foto 3×4
  • Sua carteira de identidade
  • Cópia das passagens ou reservas de ida e volta ao Japão
  • Cronograma de viagem
  • Comprovante de renda

Como podemos ver na lista de documentos, o que você precisa para ter o visto aprovado é mostrar ao consulado que você possui condições financeiras para realizá-la. Por isso, é necessário já estar com a viagem marcada, passagem comprada ou reservada.

No artigo anterior, onde falei sobre a busca de locais para se hospedar, comentei sobre o cronograma de viagem. Este cronograma é um formulário disponível no site do consulado, onde você preencherá onde estará hospedado em cada dia de sua viagem.

Como forma de comprovação de renda, o consulado pede a sua declaração de imposto de renda e extrato bancário dos últimos três meses. Caso seja um parente que esteja bancando sua viagem, basta apresentar comprovantes de renda de seu parente e um documento que comprove este grau de parentesco.

financas-pessoais

Mas qual a quantia em dinheiro necessária para ter o visto aprovado?

Eu também tinha esta dúvida, mas o fato é que o consulado não divulga esta informação oficialmente, provavelmente não há uma quantia definitiva que possa ser divulgada publicamente. Porém, considerando que eles querem saber que você tem condições de realizar sua viagem e voltar ao Brasil, é muito simples utilizarmos o bom senso para chegar em um valor aceitável.

Por exemplo, se você já tem uma passagem devidamente comprada e pretende ficar 20 dias no Japão, podemos estipular um gasto médio de R$300,00 por dia, considerando hotel e passeios pelas cidades. Isso daria uma quantia de R$6.000,00 reservados para a viagem. Claro que não podemos ter apenas este dinheiro contado a dedo, mas ele somado a nossa poupança pessoal (que devemos fazer sempre!), aos nossos bens, a renda mensal e a declaração de imposto de renda, deve ser o suficiente para ter o visto aprovado.

No caso de minha primeira viagem, em 2010, eu tinha uma renda comprovada através de extratos bancários de aproximadamente R$2.000,00 mensais, entre aulas particulares e estágio, e uma poupança com o dinheiro da viagem calculado junto com uma boa margem de segurança.

Não possuía declaração de imposto de renda, pois era isento no ano anterior. Para garantir, além de meus próprios comprovantes, levei o imposto de renda de meu pai e pedi para que ele escrevesse uma declaração se responsabilizando financeiramente por minha viagem. Levei também um comprovante de matrícula da faculdade que frequentava. Se você é estudante, faça o mesmo.

Diante destas condições, tudo ocorreu sem problemas. O visto foi aprovado sem nenhum tipo de burocracia extra!

Dicas extras

Sempre tome como referência o que está escrito na página do consulado do Japão, pois elas são as únicas informações realmente oficiais. Desconfie de qualquer outra informação que escutar, sempre confira se o que você escutou ou leu está escrito no site do consulado.

Na hora de reunir os documentos, siga a lista da página do consulado, que com certeza será a mais atualizada. Mesmo que eu tenha listado os documentos aqui neste artigo, tome-a apenas como referência e na hora do vamos ver, utilize a lista oficial.

Lembre-se que o Japão tem muito interesse que você vá visitá-lo. O turismo movimenta a economia e é bom para todos. A exigência de visto é apenas uma forma de tentar evitar pessoas que tenham a intenção de migrar ilegalmente, cometer crimes ou causar outros tipos de problemas no país (como por exemplo, ficar na rua por não ter dinheiro para se hospedar). Se você tem boas intenções, trabalha, estuda, dedica-se a ter um planejamento financeiro e a construir uma vida confortável, isso estará refletido em seus documentos e seu visto deve ser aprovado de forma tranquila.

O Japão quer que você vá visitá-lo!

O Japão quer que você vá visitá-lo!

Se você não atende a estes requisitos, talvez este não seja o seu momento de viajar. Mas isto não te impede de começar a planejar desde já. Lembre-se que cada um deve lhe dar com a situação que está vivendo hoje. Dando um passo de cada vez, resolvendo uma pendência de cada vez, é só uma questão de tempo até você ter todos os requisitos e poder realizar a sua viagem.

Deixe o seu comentário!

Se você tem alguma dúvida, quer deixar uma opinião sobre o artigo ou relatar suas experiências, deixe o seu comentário aqui!

Últimos comentários
  1. celio maximiano 24 de novembro de 2015
  2. maike 24 de novembro de 2015
    • Luiz Rafael 24 de novembro de 2015
      • yuri oliveira 31 de janeiro de 2016
  3. Kevin 24 de novembro de 2015
    • Luiz Rafael 24 de novembro de 2015
  4. cayo bezerra 30 de dezembro de 2015
    • Luiz Rafael 30 de dezembro de 2015
    • Claudia Cardenas 20 de maio de 2016
  5. Rafael 2 de janeiro de 2016
  6. SAUL 16 de janeiro de 2016
    • Luiz Rafael 16 de janeiro de 2016
  7. Cristiane Vilhena 28 de janeiro de 2016
  8. Maria Laura Alves 5 de fevereiro de 2016
  9. José 15 de fevereiro de 2016
    • Luiz Rafael 16 de fevereiro de 2016
      • José 28 de fevereiro de 2016
  10. Vitor Hugo Ramos 27 de fevereiro de 2016
  11. luciana 26 de março de 2016
  12. Wesley Andrade 29 de março de 2016
  13. Gabriel Yougo 13 de abril de 2016
  14. jacinta nunes 6 de maio de 2016
  15. Dylan 30 de junho de 2016
    • guilherme kruger de jesus 23 de agosto de 2016
  16. Joana Maciel 8 de julho de 2016
    • Luiz Rafael 12 de julho de 2016
  17. Danieli 27 de agosto de 2016
  18. Wilnaira Costa 5 de setembro de 2016
  19. Guilherme 11 de setembro de 2016
  20. Anne 11 de setembro de 2016
    • Roberto 17 de novembro de 2016
  21. Raphael da Cunha Santos 13 de setembro de 2016
  22. Lucas Schnabel 6 de novembro de 2016
    • Roberto 17 de novembro de 2016
  23. Fatima 29 de janeiro de 2017
    • Luiz Rafael 30 de janeiro de 2017
  24. Renata 2 de março de 2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *