É possível falar japonês sem aprender a ler?

A característica mais marcante do japonês é, sem dúvidas, a escrita. Por utilizar um sistema de escrita praticamente único, as pessoas interessadas em aprender japonês olham primeiro para ela, para depois reparar em outras características, como a sonoridade, a construção das frases e outras coisas.

Algumas pessoas acabam se assustando com aqueles desenhos aparentemente complexos, somado com informações erradas que acabam ouvindo de alguém ou lendo em algum lugar. Por exemplo, é comum encontrar lugares dizendo que demoram 9 anos para dominar a escrita japonesa, o que é um tremendo absurdo. Com o método adequado e muita dedicação, é possível ficar apto a ler tudo em japonês em um espaço de tempo de 1 a 2 anos.

Mas diante desta situação, algumas pessoas perguntam: “Mas eu quero apenas falar e entender japonês, assim posso viajar, fazer reuniões e assistir coisas em japonês. É possível? Assim poderia ficar fluente mais rápido!”.

Parece tentador ser capaz de conversar em japonês e entender o que os japoneses falam, assistir vídeos, TV e tudo que não necessite de leitura.

Valeria a pena ser um analfabeto em japonês se isso poupasse uma grande quantidade de trabalho e tempo?

A resposta é não. É praticamente impossível um estrangeiro adulto, que está começando a aprender japonês do zero, aprender apenas a falar, entender, mas ser incapaz de ler em japonês.

A boa notícia é que é mais fácil aprender de vez a ler em japonês, do que tentar remar contra a maré.

Imagine você no Japão podendo ler todas estas placas. Créditos da imagem: Sean Pavone / Shutterstock.com

Imagine você no Japão podendo ler todas estas placas. Créditos da imagem: Sean Pavone / Shutterstock.com

Por que precisamos aprender a ler?

O principal motivo é que para aprender japonês, é fundamental estar em contato constante com o idioma. É exatamente assim que um bebê aprende, ficando imerso em sua própria língua 24 horas por dia durante muito tempo, até se sentir confortável para falar. A diferença é que um estrangeiro adulto, principalmente vivendo fora do Japão, não vive no mesmo ambiente que um bebê nativo, por isso é necessário criar um ambiente artificial de imersão, utilizando vídeos, áudios, livros, revistas e textos.

O objetivo ao consumir estes recursos audiovisuais é transformar conteúdo incompreensível em conteúdo compreensível. Para isso, é necessário realizar pesquisas, tanto em dicionários quanto em guias, apostilas e websites. Para encontrar as palavras em dicionários, você deverá procurá-las em japonês. Nos guias e apostilas, as sentenças de exemplo também estarão escritas em japonês. Apenas isso já inviabiliza a possibilidade de aprender “apenas a falar”.

Um outro ponto é que a sua língua nativa, no caso, o português, não ajuda a deduzir o significado de palavras em japonês. Quando há semelhança entre palavras de dois idiomas, é possível aprender muito sem a necessidade de consultar dicionários ou guias. Por exemplo, você pode assistir um vídeo em espanhol ou italiano e aprender muitas palavras apenas ouvindo, pois há muitas semelhanças com o português. Isso não acontece com o japonês, todas as palavras são completamente diferentes do português, o que torna indispensável o ato de pesquisar.

Para aprender japonês sem aprender a ler, seria necessário uma grande quantidade de materiais didáticos que tragam explicações usando apenas o nosso próprio alfabeto. Isso simplesmente não existe. Existem alguns poucos materiais que seguem esta linha, mas a quantidade de informações contidas neles nunca seria suficiente para cobrir o que você precisa aprender para ter um japonês realmente funcional e que lhe sirva para alguma coisa.

Resumindo, para expandir o seu vocabulário japonês é necessário ler textos e procurar palavras no dicionário.

Existem pessoas que sabem falar mas não sabem ler?

Sim, existem, mas isso só acontece diante de circunstâncias especiais. Um exemplo seria um brasileiro descendente de japoneses que cresceu em uma família que só falava japonês em casa, mas não foi alfabetizado. Mesmo assim, apesar desta pessoa ser capaz de falar em japonês sobre coisas cotidianas, ela é incapaz de compreender um jornal, um vídeo ou uma palestra que contenha qualquer assunto mais complexo do que aquilo que normalmente é conversado com a família dentro de uma casa. Para compreender este tipo de conteúdo, seria necessário realizar pesquisas, onde novamente caímos na necessidade de saber ler.

Um outro caso seria o de alguém que teve a oportunidade de viver muitos anos no Japão e acabou aprendendo uma série de frases e palavras através da convivência com colegas de trabalho, mas que nunca chegou a se alfabetizar. Mas, veja bem: aos olhos de um leigo, pode parecer que esta pessoa sabe japonês, mas na verdade ela sabe muito pouco, ela é incapaz de compreender e falar sobre assuntos mais complexos, mais uma vez porque são necessárias palavras que se aprende através de pesquisas.

É mais fácil aprender japonês sabendo ler

Agora pense o seguinte: Através da leitura de textos, websites, livros, revistas e mangás, podemos aprender palavras e expressões que talvez demorariam muito para aparecer em um vídeo ou em uma situação da vida real. Acaba sendo mais rápido aprender, justamente graças a leitura, e isso só é possível sendo capaz de ler os caracteres japoneses. Ler é uma atividade prazerosa, bastando encontrar conteúdos que te agradem. O seu processo de aprendizado de japonês pode ser muito mais rápido e rico se houver uma quantidade significativa de leitura.

Para se tornar capaz de ler japonês, você deve começar pelo HIRAGANA e KATAKANA, os dois alfabetos básicos que servem como base para todo o resto. Depois vem o KANJI. O KANJI é ideográfico, são aqueles símbolos aparentemente mais complexos. É possível aprendê-los de forma ultraeficiente e dominá-los em um espaço de tempo que varia entre 1 a 2 anos, dependendo do grau de dedicação. Falamos sobre metodologia de aprendizado de KANJI neste artigo.

Conclusão

Comece a aprender a ler em japonês hoje mesmo. Não deixe para amanhã. Comece agora e domine a escrita japonesa o quanto antes. Isto encurtará seu caminho rumo à fluência e abrirá uma grande gama de informações interessantes e relevantes para você consumir!

Últimos comentários
  1. Vinicius 15 de outubro de 2014
    • Luiz Rafael 15 de outubro de 2014
  2. di 15 de outubro de 2014
    • Luiz Rafael 15 de outubro de 2014
  3. Paulo Edson 16 de outubro de 2014
    • Luiz Rafael 16 de outubro de 2014
  4. Brayan silva de sousa 16 de outubro de 2014
  5. Thamiris Duarte 21 de outubro de 2014
    • Luiz Rafael 21 de novembro de 2014
  6. Silvia Maeda delgado 30 de outubro de 2014
    • Luiz Rafael 16 de novembro de 2014
  7. Emi 30 de julho de 2015
  8. ana 19 de fevereiro de 2016
  9. Maria 12 de abril de 2016
  10. Rebecca 18 de abril de 2016
  11. Edmilson Soares 4 de maio de 2016
  12. Fernanda 26 de agosto de 2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *