Animes e Mangás #2 – Animação

postAnime2-blog
Após falarmos sobre os gêneros e o processo de produção de mangás, neste segundo artigo da série traremos algumas curiosidades e informações sobre a animação. Ou seja, a transição entre o mangá e o anime.

À medida que um estudante tenha um domínio maior do idioma japonês, ele terá condições de pesquisar muito mais detalhes sobre o mundo dos animes e mangás. Eis por que o aprendizado do idioma pode ser algo transformador, realizando sonhos e abrindo muitas possibilidades.

Hoje, falaremos sobre o processo de transformação de mangá em anime, que é o processo mais comum. Mas, às vezes, o inverso ocorre, e algo que fez sucesso na TV ganha versão em quadrinhos. Alguns exemplos são:

  • (しん)(せい)()エヴァンゲリオン (Shin Seiki Evangelion, conhecido no ocidente como Neon Genesis Evangelion)
  • (よろい)(でん)サムライトルーパー (Yoroiden Samurai Troopers, aqui no Brasil conhecido como Samurai Warriors)
  • ()(ほう)(しょう)(じょ)まどか☆マギカ (Mahou Shoujo Madoka Magica, conhecido no ocidente como Pueli Magi Madoka Magica)
  • (てん)(げん)(とっ)()グレンラガン (Tengen Toppa Guren Ragan, ou simplesmente Gurren Lagann)

Primeiros passos

Tudo começa com reuniões entre estúdios, emissoras e patrocinadores. Os custos de produção são altos, o que exige muito planejamento nesse sentido. Estima-se que a metade (aproximadamente) da verba vai para arcar com os custos do estúdio. O restante vai para outras empresas e para a emissora que exibir o anime.
Devido à importância dos patrocinadores, todos os animes (e mesmos outras séries) costumam exibir no começo (ou fim) do episódio uma mensagem muito conhecida por fãs.

この(ばん)(ぐみ)はご(らん)のスポンサーの(てい)(きょう)でお(おく)りします
Este programa é trazido pelos seguintes patrocinadores.

Ainda em fase de pré-produção, a staff (スタッフ, staffu) planeja o anime (por exemplo: em que momento acaba cada episódio). Profissionais específicos cuidam da parte de design (principalmente de personagens). E então, começa, de fato, o processo de produção.

Produção, storyboard e layouts

Tudo começa com a escrita dos scripts dos episódios. Diretor, produtores e autor da obra original se reúnem para revisar o script, e uma espécie de espinha dorsal é criada.

Então surge o storyboard, um tipo de script visual. Esse storyboard (que nada mais é do que uma sequência de desenhos, um roteiro com imagens) é criado por um profissional chamado de (かん)(とく) (kantoku, que pode ser traduzido como “superintendente” ou simplesmente “diretor”).

É o momento então do diretor de animação, conhecido como さすが(かん)(とく) (sasuga kantoku), criar o layout. Ou seja, ele desenha alguns esboços detalhando o ângulo da cena, o posicionamento do personagem, os cenários de fundo, entre outras coisas.

Animação

Falando em termos de animes comerciais, a grande maioria ainda realiza quase todo o processo de animação à mão. Usando como base os esboços já preparados, os animadores criam os (げん)() (genga), os desenhos-chave mais importantes de cada cena. Entre esses desenhos-chave, são colocados os (どう)() (douga), os desenhos que formam a sequência de movimento. Os 動画 também são chamados às vezes de “frames do meio” ou “in between”, e constituem o trabalho braçal mais pesado de todo o processo, sendo este o motivo pelo qual ele muitas vezes é terceirizado.

Paralelamente a isso, outro grupo de animadores, os ()(じゅつ) デザイナー (bijutsu designer, designers de arte), cuida dos (はい)(けい)(げん)() (haikei genga), os desenhos de cenário e background. Todo esse trabalho supervisionado por um ()(じゅつ)(かん)(とく) (bijutsu kantoku), um diretor artístico.

Agora falta pouco

O material produzido passa a receber cores, efeitos e outros detalhes em processos computadorizados. Após tudo estar “redondinho”, é o momento da edição, conhecida como (へん)(しゅう) (henshuu). É quando se reúnem as sequências de cenas, e são feitos eventuais cortes para adequar tudo ao tempo de duração do episódio.

Na sequência é o momento de efetuar toda a sonorização e realizar a dublagem (embora a dublagem nem sempre seja feita no final do processo). Os japoneses chamam de アフレコ (afureco, contração de After Recording). Já os dubladores lá são chamados de (せい)(ゆう) (seiyuu, literalmente, “ator de voz”).

Enfim, depois deste longo processo, os animes vão para as telas japonesas. E de lá, para o coração dos fãs.

Sentenças interpretadas

Que tal aprender algumas sentenças em japonês utilizando algumas destas palavras? Sentenças são a segunda melhor forma de internalizar o seu novo vocabulário (a primeira são textos, que também são compostos por sentenças).

さすが(かん)(とく)()(ごと)(とく)(むずか)しいと(おも)います
Acho o trabalho do diretor de animação particularmente difícil.

Como já vimos, さすが監督 é o diretor de animação, enquanto 仕事 significa “trabalho”. A expressão 特に dá a ideia de “particularmente”, “especialmente”. 難しい é o adjetivo “difícil”. E o verbo 思います significa “Acho que”.

(らい)(しゅう)のイベントで、(せい)(ゆう)()いたい
No evento de semana que vem, quero conhecer um dublador.

A palavra 来週 significa semana que vem. イベント significa “evento”. 声優 é a palavra para “dublador”. E 会いたい é a forma たい (que indica que você quer algo) do verbo 会う, o verbo “conhecer”, “se encontrar com”.

テレビを()(とき)()()(あか)るくして(はな)れて()(くだ)さい
Quando assistir TV, por favor ilumine a sala, e assista afastado (da TV).

Essa frase (com pequenas variações) aparece em quase todos os animes, no início do episódio. テレビ é a palavra japonesa para “televisão”, enquanto o verbo 見る significa “ver”, “assistir”. 時 dá a ideia de “quando”, “no momento em que”. 部屋 significa “sala”. 明るく acompanhado do して significam “ilumine”. Já 離れてsignifica “afastado”. E 見て significa “assista”. O下さい pode ser traduzido como “por favor”, indicando gentileza ao pedir essas coisas.

Gostou? Agora é hora de aprender mais japonês!

Gostou do artigo? Tem algum conhecimento para compartilhar? Você pode deixar o seu comentário abaixo ou inserir o seu e-mail para receber nosso livro digital Desvendando a Língua Japonesa, e assim começar a aprender japonês agora mesmo!

Últimos comentários
  1. Julyano Leal 27 de novembro de 2015
    • Luiz Rafael 27 de novembro de 2015
  2. Junior Castro 16 de dezembro de 2015
    • Guilherme Barbosa 5 de janeiro de 2016
  3. joão vanderlei figueiredo alves 4 de março de 2016
  4. ubuntuvps 17 de maio de 2016

Deixe uma resposta para Guilherme Barbosa Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *